O lugar bom

Depois de terminar de ver F.R.I.E.N.D.S pela centésima vez e obviamente chorar no último episódio pensei: “Preciso achar um seriado de humor para ver durante as refeições” e fui eu zapear a Netflix.

The Good Place é um seriado de humor sarcástico recheado de questionamentos filosóficos e de comportamento.

A série mostra a história de Eleanor, na primeira cena ela recebe a notícia “Você morreu, mas fique tranquila, você está no Good Place, durante toda a vida as pessoas vão acumulando pontos por coisas boas e perdendo pontos por coisas más, e somente os mais bem pontuados vem aqui para o Good Place, o resto vai par ao Bad Place”.

Caso não tenha ficado óbvio, é uma referencia à Céu e Inferno. O fato é que Eleanor sempre foi uma baita filha da puta durante sua vida: egoísta, sem escrúpulos, exploradora, etc.

Claramente houve um erro…. E é toda esta situação que acompanhamos durante os episódios, mostrando toda evolução dos personagens em questões morais, de redescobrimento e situações inusitadas.

O nicho principal da série é um grupo de quatro “residentes” do Good Place: Eleanor; Chidi, um professor de filosofia; Jameela, uma socialite filantropa e Jianyu Li, um monge que fez voto de silêncio. Além Michael, o arquiteto deste paraíso e Janet, um tipo de inteligencia artificial que cuida de tudo.

Vontades, a morada perfeita, a paz eterna, alma gêmea, espiritualidade, todos estes assuntos abordados de forma leve, divertida e inteligente.

The Good Place não é uma Sit-Com, não pelo seu conceito em si, pois nos mostra sim situações cotidianas, mas ela nos tira do dia-a-dia normal, eles estão no céu/paraíso, as coisas lá são perfeitas…. ou deveriam….

Dificilmente a série irá lhe tirar gargalhadas, mas o humor ácido e sutil está lá o tempo todo e os assuntos abordados de forma caricata ficam martelando por dias.

Para quem está procurando uma comédia diferente, que aborda assuntos morais e filosóficos, recomendo demais!